Depois de dezesseis anos pesquisando, estudando e experimentando fundamentos da teoria
andragógica da aprendizagem, em ações docentes no ensino superior, descobri que além das
referências da psicologia Lacaniana em contextos da psicologia humanista, das relações
intrínsecas da aprendizagem e interatividade, da interação e colaboração entre pares é preciso
compreender, também, as influências cognitivas e ativas da neurociência relacionadas à relação
cérebro-aprendizagem na educação do adulto.
Recentemente, em visita à Bett Brasil Educar versão São Paulo, 10 a 13 deste mês, aproveitei a
oportunidade para um diálogo, na metrópole, com especialistas da neuroeducação e confesso

Acesso ao texto na íntegra: A neuroeducação e andragogia: uma boa parceria na educação do adulto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *