Embora tenha conquistado espaços, no Brasil, por volta do final dos anos 70, na educação corporativa, como uma boa opção para a mediação da aprendizagem, em contextos de conexões entre educação e metas de aprendizagem atreladas a planos estratégicos, essa função ainda é muito pouco conhecida e explorada no ensino superior acadêmico, cujas primeiras pesquisas e iniciativas datam do final do século passado.
Nos últimos três anos ela tem despertado grande interesse nas IES privadas ávidas por mudanças não só conceituais, mas estruturais e curriculares também, que as coloquem no front-end da disputa pelo acirrado mercado de oferta na EaD brasileira. Muito desse interesse, observando relatos de professores, de estudantes, de publicações nas redes sociais e em alguns poucos relatórios de casos de sucesso no ensino superior, aponta para a grande preocupação que ainda ronda os programas de captação e retenção de estudantes.

Nos observatórios de especialistas como os renomados Profs. Moran, Arétio, Nóvoa, entre outros, a valorização do mentor ou da mentoria transita em várias camadas do esforço em manter o estudante ativo, autorreflexivo e integrado aos contextos da aprendizagem mediada tecnologicamente ou não. Nessas dimensões, esses pesquisadores revelam e sugerem ações indispensáveis para que esse serviço (baseado em relacionamentos e compartilhamentos) prestado aos estudantes seja de forma natural, harmoniosa e coerente com as novas perspectivas para uma educação que valorize aspectos de humanidades, de compartilhamentos e divisão de experiências. De emoções na aprendizagem, de compreensão dos aspectos psicossociaisr elacionados às competências e aos desempenhos em que haja os fatores – experiência e o fazer – como divisores de águas.

Em diálogos recentes no GRUPO TOP EDUCATION, em whatsapp, em que participam nomes e profissionais de peso, no cenário educacional brasileiro, fomos premiados, para um debate, a partir de mais uma das ricas contribuições do Prof. Moran sob o título:
Acesso ao texto na íntegra em:

https://wr3ead.com.br/wp-content/uploads/artigos/mentoria-e-evasão-no-ensino-superior-enilton.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *